quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Dia 23/08/16-Homem espanca mulher ate a morte.  Causas:Ciumes.
24/08/16-Mulher espaca o marido ate a morte.  Causas.  Falta de caril.
Os dois casos deram-se na Cidade de Chimoio
Chega!!!
Se a nossa indignação com relação a violência em Moçambique nao é suficiente para eliminarmos este mal.  Que mais precisamos fazer?
Nos dois casos,  uma conversa aberta,  evitaria a violência e evitaria a fatalidade.
Stop Violência!
Por: Gilberto Macuácua
Imagens: STV Jornal da Noite de 23 e 24 de Agosto de 2016

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Casamentos prematuros - Vida incerta da Rita

Artigo de: Gilberto Macuácua publicado na: http://www.genderlinks.org.za/article/mozambique-casamentos-prematuros---vida-incerta-da-rita-2015-07-14

Tenho estado, desde Janeiro de 2015, a estudar o fenómeno dos casamentos prematuros no distrito de Jangamo, sul da província de Inhambane. Para tanto, tenho estado a conversar com as meninas e meninos vivendo num casamento prematuro; famílias emissoras (de onde vem as menores) e as famílias receptoras (que as recebem).

Rita C., 14 anos de idade, residente no localidade de Ligogo, posto administrativo de Jangamo, é uma das raparigas que está num casamento prematuro. No mês de Fevereiro, em conversa com ela, disse-me que estava "casada" há sensivelmente seis meses, resultado de uma gravidez indesejada contraída há oito meses. Quando os pais descobriram que estava grávida, obrigaram-na a ir viver com o rapaz responsável pela gravidez. A Rita frequentava a sexta classe e teve que interromper os estudos.

O fenómeno de casamentos prematuros é comum neste distrito que tem uma superfície de 1.294Km², uma população de 93.681 e uma densidade populacional de 72,4 habitantes/km², de acordo com os resultados preliminares do Censo de 2007. Os últimos dados divulgados pela UNICEF indicam que Moçambique tem uma média nacional de 52% de raparigas que se casam antes dos 18 anos e 17% antes dos 15 anos de idade. Em relação a África Austral, Moçambique situa-se em segundo lugar, atrás de Malawi apenas.

Várias razões são apontadas como causas dos casamentos prematuros, desde a pobreza, cultura e outras. E não ajuda o facto de que apenas existem poucas pesquisas que nos possam ajudar a perceber melhor o fenómeno.

A própria terminologia casamento prematuro não tem reunido consenso entre os actores nesta área, sobretudo da sociedade civil onde uns preferem chamar de uniões forçadas partindo do princípio de que as menores nesta condição são muitas vezes forçadas pelo pais ou porque estão grávidas e isso ajuda a colmatar um défice económico na família, ou ainda porque está a pagar uma dívida dos pais a um adulto, sobretudo médicos tradicionais, entre outros motivos. E outros preferem manter a denominação casamentos prematuros pelo facto de acontecerem antes do delas antigirem a idade núbil, ou seja, prematuramente.

A Rita foi vítima deste mal por ter ficado grávida; a família receptora acolheu-na como uma nora. Todos os dias, depois de acordar, vai a machamba, regressa e toma conta dos afazeres domésticos. Vendo ela em actividades fica-se com a impressão de que parece ser a empregada doméstica da família ou melhor, é usada como mão-de-obra barata. A Rita está sendo explorada sem que ela se aperceba.

Perguntei-a sobre o rapaz que a engravidou. Ela respondeu: "Ele foi para África do Sul em Dezembro, talvez regresse em Junho, não sei..." . Visivelmente inocente, com um olhar mais para baixo, roendo as unhas dos dedos das mãos, nós conversávamos sentados numa esteira. Do lado, a sogra acenava a cabeça toda orgulhosa, como se estivesse a dizer "esta é a nora que sempre quis ter", cumprindo devidamente com o papel dela sobretudo em relação aos trabalhos domésticos. O rapaz que se encontra na terra do Rand, apenas telefonou duas vezes em Dezembro quando acabava de chegar, e também em Janeiro.

Estamos no mês de Junho, estou de volta a Ligogo, A Rita já é mãe de uma bebé de três meses. Voltei a conversar com ela, procurei saber como se sentia na condição de mãe e se o "marido" teria já regressado da África do Sul. Ela respondeu que não era fácil e que está a ter inúmeras dificuldades e ainda necessidades não satisfeitas. Não está feliz; o rapaz nunca deu sinal de vida depois de tê-lo dado no mês de Janeiro e já não sabe quando regressa.

O futuro da Rita é neste momento incerto e segundo ela, se tivesse sabido continuaria a namorar mas sem se deixar engravidar, sente-se enganada, frustrada e não pode contar mais com o apoio dos pais.

A história da Rita repete-se um pouco por todo país e particularmente no distrito de Jangamo onde o sector de educação a nível local, reportou 28 casos de casamentos prematuros no ano de 2014, com menores abaixo dos 15 anos de idade. Parte da sociedade olha de forma normal, justificando-se pela cultura que, segundo muitos, deve ser preservada, num claro e grave atropelo aos direitos da criança.

Com esta situação, o futuro da Rita fica minado, bem como de todas crianças, tanto as que estão em casamentos prematuros como as que nascem delas. Com este quadro, torna-se necessária uma intervenção profunda e urgente de todos actores da sociedade de forma integrada, incluindo o governo com políticas e estratégias que respondam as especificidades das motivações que causam o problema de casamentos prematuros.

O modelo de intervenção deve também comportar medidas educativas e punitivas que incidam sobre o Indivíduo, familia, comunidade, instituições sociais (Mídia, Religião e outras). A academia não deve ser ignorada neste modelo pois tem um papel preponderante, sobretudo no que tange as pesquisas que a partir dos seus resultados podem-se encontrar caminhos para a eliminação deste mal.

Por outro lado, existe um personagem que é extremamente importante a ser considerado quando se aborda esta matéria - o homem. Os homens aparecem em dois prismas: primeiro como os que casam as meninas e segundo, como os que forçam as meninas (suas filhas) a se casarem com outros homens prematuramente.
Embora existam homens em Jangamo que têm consciência de que elas não podem ser submetidas aos casamentos prematuros, existem outros que acham normal casar uma menor de idade, que na opinião deles a partir do momento que ela tem a primeira menstruação já está pronta para assumir uma relação conjugal ou um lar.

Esta questão remete-nos a considerar que existem homens que não tem noção dos custos elevados que advém dos casamentos prematuros, tendo em conta que com as limitações e vulnerabilidades a que estas meninas estão hoje sujeitas no dominio social, economico, saúde, entre outros. No futuro o problema sairá da esfera individual para colectiva onde far-se-á sentir nas famílias, comunidades e por toda a sociedade. Fica claro que se deve trabalhar com os homens não só como parte do problema mas também como parte da solução.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Gilberto Macuacua e o programa Homem Que E Homem citados no relatorio anual global 2014/15 da UN Women

Gilberto Macuacua e o programa Homem Que E Homem citados no relatorio anual global 2014/15 da UN Women, pagina 22.
veja mais no link abaixo: http://annualreport.unwomen.org/en/2015 

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Rites of Initiation The Dark Side - Documentary by Gilberto Macuacua - Homem que e Homem

By Gilberto Macuacua -
Rites of Initiation  are a very important cultural component in the process towards the definition of the identity of some communities in Mozambique. It is during this process that values are transmitted defining how boys and girls will behave in future, not only from a social perspective, but also in terms of their sexuality. However, this process embodies dangerous elements to the lives of women and they violate their human rights. This also happens to the boys. Therefore, the documentary “Initial Rites – The Dark Side” that we have produced, clearly portraits the drama in which women live in relation to sexual collective and systematic violations that they suffer in the name of culture during the male initial rites in the north of Mozambique and the enormous injustice practices they suffer from their partners, the community, justice institutions, among others in order to call the attention of the whole society in general as well as from the relevant entities to end this evil.
In this documentary has triggered strong emotions from viewers, especially when the victims talk first-hand about their experiences and the pain they suffer until today.
 Apart from the victims, the documentary brings remarks from the community leadership, the local government, initial rites’ masters, young people who went through initial rites, religious leaders, members of the civil society, health personnel, police officers and court staff members who are in possession of cases of violation and they all talk first hand.
https://www.youtube.com/playlist?list=PL8FBEqOIT9aLtejU3XghGfqMmbjR8m9nm

sexta-feira, 27 de março de 2015

FORUM SOCIAL MUNDIAL

Eu entrevistando o Olivio Dutro aqui na Tunisia para o Programa Homem que Homem. Ele foi Prefeito de Porto Alegre, Governador de Estado de Rio Grande do Sul, Deputado Federal e Ministro das Cidades do Brasil com a cortesia da productora Alemã Timeless Photography

sexta-feira, 20 de março de 2015

HQH REFLEXÃO: Roupas Curtas e Sensuais de Mulheres

É uma abordagem perigosa essa de que as roupas curtas e sensuais das mulheres sao o motivo para as violaçoes sexuais. Assim estão a dizer coitado do homem que a violou ele não tem culpa, a culpa é dela que vestiu-se daquele jeito. Amigos! Se es ladrão, es ladrao. Independentemente da casa estar aberta ou fechada, vais roubar.

Gilberto Macuacua

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Campanha HeForShe em Quenia

Eu discursando no lancamento da campanha HeForShe a nivel das regiões da Africa Oriental e Austral.




O evento de GALA, aconteceu no dia 10 de Fevereiro num dos hoteis na cidade de Nairobi em Quénia testemunhado por mais de 200 pessoas provenientes de diferentes paises africanos. Eu, sou um dos assinantes (Champion) desta campanha em África. HeForShe é um movimento de solidariedade para a igualdade de género iniciado pela ONU Mulheres. Destina-se a envolver homens e rapazes como agentes de mudança para o alcance da igualdade de gênero e direitos das mulheres, incentivando-os a tomar medidas contra as desigualdades enfrentadas pelas mulheres e rapariga.
Esta campanha será em breve lançada em Moçambique. Convido a todos homens e rapazes para aderir a este movimento. Gilberto Macuacua.

Gilberto Macuácua painelista na Timeless Women's Conference 2015 em Nairobi -Quénia com o tema: Steering Media Conversation For Women Empowerment

Amig@s!
Fui painelista na Timeless Women's Conference 2015 em Nairobi -Quénia com o tema: Steering Media Conversation For Women Empowerment. Este painel foi televisionada pela NTV, uma das maiores e influente estaçao Queniana de Televisao.
As minhas colegas do painel sao jornalistas, Apresentadoras de TV, Editoras de Revistas e jornais famosas em diferentes regioes da África tais como a Julie Gichuru, Key Steve, Dorcas Odumbe e Kobi Kihara (Moderadora).


 A minha participaca tem que ver com o reconhecimento a nível internacional do nosso trabalho como Programa Homem que é Homem.
Gilberto Macuácua

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Marcha de Homens Contra Violencia 2014

Amig@s
Âmbito das comemorações dos 16 dias de Activismo, 

A Rede Homem Pela Mudanca – HOPEM, realiza uma MARCHA Contra Violência. Marcada para Sábado, 6 de Dezembro de 2014.
 
Concentração: 8 horas na Praça da Independência Com Ginástica orientada pelo Professor Mouzinho da Academia de Dança Tropical A Marcha vai obedecer o seguinte tragecto: Praça da independencia – Avenida Karl Max– Av. Eduardo Mondlane Av. Guerra Popular – Av Acordos de Lusaka - até a praça da Paz na Cidade de Maputo.   Chegados à Praça da Paz, logo após os discursos, teremos um evento cultural com vários artistas incluindo o Bob Lee e Anita Macuácua.

TRAGA A SUA MARCA, SEUS MATERIAIS, UNIFORME, ETC... E 
Vamos tod@s dizer Nao as Violações sexuais, Estupros, agressões físicas, psicológicas e a todo tipo de violência.    

Saudações e até la.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Southern Africa: Gender awards highlights - the documentary “Initial Rites – The Dark Side” winning produced by Gilberto Macuacua

Initial rites are a very
important cultural component in the process towards the definition of
the identity of some communities in Mozambique. It is during this
process that values are transmitted defining how boys and girls will
behave in future, not only from a social perspective, but also in terms
of their sexuality.

However, this process embodies dangerous elements to the lives of women
and they violate their human rights. This also happens to the boys.
Therefore, the documentary “Initial Rites – The Dark Side” that we have
produced, clearly portraits the drama in which women live in relation to
sexual collective and systematic violations that they suffer in the
name of culture during the male initial rites in the north of Mozambique
and
the enormous injustice practices they suffer from their partners, the
community, justice institutions, among others in order to call the
attention of the whole society in general as well as from the relevant
entities to end this evil.
In this documentary has triggered strong emotions from viewers,
especially when the victims talk first hand about their experiences and
the pain they suffer until today.

Apart from the victims, the documentary brings remarks from the
community leadership, the local government, initial rites’ masters,
young people who went through initial rites, religious leaders, members
of the civil society, health personnel, police officers and court staff
members who are in possession of cases of violation and they all talk
first hand.


Southern Africa: Gender awards highlights







Momentos das premiacoes em Johannesburg

"RITOS DE INICIACAO - O LADO ESCURO" vence mais um premio

Numa cerimonia promovida pela GenderLinks e marcada pela presenca de varias personalidades da Africa Austral incluindo renomados editores, produtores, reporteres e apresentadores de televisao, O Documentario "RITOS DE INICIACAO - O LADO ESCURO" venceu na passada Quarta-Feira a noite o premio de Melhor trabalho de conteudo de Media na categoria de Televisao a nivel da Africa Austral. Gilberto Macuacua editor e apresentador do programa Homem que e Homem da Televisao de Mocambique, que produziu este documentario  recebeu o premio em JHB das maos da senhora Mireille Martin - .

terça-feira, 20 de maio de 2014

"Masculinidades Assasinas" no Sudao - Isto e uma Vergonha!



Sudão permite a mulher condenada dar à luz antes de ser enforcada

O tribunal sudanês que condenou à morte uma jovem de 27 anos, grávida, por se recusar a renunciar ao Cristianismo, anunciou que vai permitir o nascimento do bebé antes da execução da sentença

Meriam Yehya Ibrahim, 27 anos, está grávida de 8 meses e encontra-se detida, com o filho de 20 meses, por se recusar renunciar à sua fé cristã e voltar para o Islão, o que lhe valeu a condenação à morte por enforcamento. Por ter casado um homem cristão, enfrenta também uma sentença por adultério de 100 chicotadas. Esse tribunal deveria ter vergonha na cara, sao pessoas sem coracao ou talvez robôs colocados em tribunal para jugar seres humanos, nao pessoas. Estamos em pleno seculo XXI, e inadimissivel que actos desta natureza aconteçam no mundo.

Perante o coro internacional de protestos, o tribunal islâmico esclarece que vai permitir à jovem ter o filho antes de executar a sentença.

Ela é filha de um muçulmano, a jovem foi condenada ao abrigo da Sharia, a lei islâmica que vigora no Sudão desde 1983 e que prevê a pena de morte para quem se converter a outras religiões.

O marido de Mariam Yahya Ibrahim é um cristão natural do Sudão do Sul, que conquistou a independência em 2011, depois de décadas de guerra civil.

Algo mais deve ser feito para alem dos apelos para eles desistirem desta ideia macabra que condena somente as mulheres. A culpa das mulheres nesses paises é facto de terem nascido mulheres? Inaceitavel.

Gilberto Macuacua

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Ritos de Iniciacao - O Lado Escuro na II Edicao da Mostra do Cinema Mocambicano

O Instituto Nacional de Audiovisual e Cinema(INAC),promove a partir de hoje(De 19 a 23)de Maio a II Edicao da Mostra do Cinema Mocambicano,com inicio às 16 horas, no auditorio do INAC .Para hoje sessao de abertura foram seleccionados:16h - Sonho de crianca, 46 minutos e 17h: Ritos de Iniciacao - O Lado Escuro, 43 minutos.

Recordar que, o documentario "Ritos de Iniciacao - O Lado Escuro" foi produzido no ano de 2013 e mostra o drama em as mulheres vivem relacionado com as violacoes sexuais sistematicas e colectivas durante os ritos de iniciacao masculinos no norte de Mocambique.

Produzido pelo Programa Homem que e Homem com apoios de:
- Embaixada da Irlanda
- Embaixada da Suecia
- ONU Mulheres
- Rede HOPEM
- MMAS
- Grupo de Coordenacao de Genero


Venha ao INAC. Participe e promova o Cinema feito em Mocambique.

Saudacoes
 
Gilberto Macuacua - CONSTRUIR NOVOS HOMENS

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Ritos de Iniciacao - O Lado Escuro. Documentario ja disponivel no youtube

https://www.youtube.com/playlist?list=PL8FBEqOIT9aLtejU3XghGfqMmbjR8m9nm



Os ritos de iniciação são uma componente cultural importante no processo de definição da identidade em algumas comunidades em Moçambique. É durante este processo que são transmitidos os valores que definem como os rapazes e raparigas irão comportar-se no futuro, não só ao nível social, mas também como vêem a sua sexualidade. 

No entanto, casos de das violações sexuais colectivas e abuso sexual de mulheres perpetrados por homens envolvidos em rituais de iniciação masculinos nas províncias de Cabo Delgado e Nampula são frequentes mas, ninguém fala do assunto, por temer represárias e é também associado a tabus e crênças de que algo terrível pode acontecer na sua vida caso fale sobre o assunto .

A reportagem de 43 minutos, investiga e denuncia uma grave violaçao dos direitos humanos torna publicas informações consideradas secretas nos ritos de iniciacao, quebra o tabú de que, ao confrontar-se pessoas que lideram este tipo de rituais pode-se até morrer. O Jornalismo exige coragem e criatividade na busca de informacao. Esta reportagem, demonstra isso ao fazer falar as pessoas proibidas pela tradicao, incluindo mulheres vitimas que sofriam no silêncio e sem apoio das famílias, comunidade, estruturas admistrativas locais nem de justiça.

É uma reportagem que emocionou muitos telespectadores e telespectadoras sobretudo quando as vítimas falaram na primeira pessoa o que sofreram e o que sofrem até hoje.

Para além das vítimas, traz a voz das lideranças comunitárias, governo local, mestres dos ritos de iniciação, jovens que passaram pelos ritos de inciação, religiosos, sociedade civil, servicos de saude, polícia e o tribunal que está na posse de um dos casos de violacao, todos falando na primeira pessoa.

Sentimos que vamos contribuir para que as leis contra violencia e as que promovem a igualdade de genero sejam efectivamente cumpridas e a sociedade faça uma reflexao critica a cerca do problema em causa.

Gilberto Macuacua

terça-feira, 25 de março de 2014

Quem e Gilberto Macuacua - Who is Gilberto Macuacua


Gilberto Macuácua PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
gil macuacuaGilberto Nelson Macuácua
Vem de uma família humilde, nascido a 26 de Junho de 1976, na Cidade de Maputo. É casado e pai de 5 filhos. A sua família está em primeiro lugar.
Formou-se na França, em Desenvolvimento Social (Bacharel) e Gestão da Comunicação (Licenciatura).
Com uma larga experiência em Comunicação para a Mudança de Comportamento, Gilberto Macuácua, já residiu e trabalhou com várias organizações, na maioria internacionais, em alguns países como França, Níger, Costa de Marfim e Laos (este último, no sudeste asiático).
Por cá, para além de Maputo, residiu e trabalhou nas cidades de Nampula e Chimoio.
Considera-se um Feminista e Activista contra a Violência e Desigualdade de Género.
Nunca teve medo de desafios, aliás, sem eles, a vida não teria nenhuma graça. E adora inovar. Tem um coração sensível, espírito de aventura, gosta de trabalhar perto das comunidades e detesta injustiças principalmente quando são praticadas contra pessoas indefesas.
É muito dedicado a família, e fora de trabalho, passa maior parte de tempo com a esposa e filhos.
A sua vida não foi sempre um mar de rosas. Em algum momento da sua vida teve comportamentos e atitudes que desgastaram a sua relação com a família, típicas de violência das variadas formas.
Num outro momento, decidiu parar para reflectir sobre os seus actos e percebeu que algo não estava bem na sua vida, decidiu então adoptar um outro estilo de vida voltado para a compreensão, amor e respeito a família.
Quando percebeu que o novo estilo de vida estava a trazer resultados bons, decidiu partilhar a sua experiencia que pode ser vista em: http://gilbertomacuacua.blogspot.com/2010/08/betto-g-historias-digitais-mocambique.html e convidar outros homens a reflectir sobre a forma como a sociedade educa o homem e o resultado desse modelo de socialização.
Algumas das primeiras questões a colocar-se são: Será que a sociedade educa o homem para ser bom? Ou seja, para amar, valorizar, respeitar e estar mais perto da sua família? Quais são os custos actuais derivados das minhas atitudes e comportamentos.
Assim, o Gilberto Macuácua, convida outros homens a entrar nestas reflexões através do seu Blog: www.gilbertomacuacua.blogspot.com, artigos nos jornais locais e internacionais, e do Programa de Televisão Homem que é Homem.
Antes, teve que se capacitar em matérias sobre trabalho com homens.
Actualmente, tem recebido vários convites para dar palestras e capacitar vários organismos a nível nacional e internacional.

Não se considera um homem transformado, mas sim em transformação. O que significa que a mudança é um processo que pode ser longo.
Pelo que, convida a todos os homens a aderirem a este processo de construção de novos homens para o bem de todos.
Hobbies:
Ler livros, tocar guitarra e nadar.
Momentos marcantes:
São vários os momentos que marcaram a sua vida, contudo, em relação ao programa Homem que é Homem, lembra-se que quando em Julho de 2012, chorou ao vivo, pela primeira vez no programa, devido a uma história comovente das muitas contadas pelos convidados e convidadas. E até hoje, encontra homens que dizem que quando o viram a chorar, também choraram e outros estiveram perto de chorar, mas que contiveram as lágrimas.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Ritos de Iniciacao - O Lado Escuro




Estreia neste sábado, dia 21 de Dezembro de 2014, as 17 horas, no programa Homem que e Homem da Televisão de Moçambique (TVM1), o documentário: "Ritos de Iniciação - O Lado Escuro". Retrata o drama em que as mulheres vivem em relação as violações sexuais coletivas e sistemáticas que elas sofrem em nome da tradição durante os ritos de iniciação masculinos no norte de Moçambique. 

Por: Gilberto Macuacua - Coordenador do projeto de documentário.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Teste de HIV ao Vivo na televisao!!??

O Realizador do programa Homem que e Homem, desafia o Apresentador a fazer teste de HIV ao vivo no programa Homem que e Homem.
Sera que o Gilberto Macuacua aceita o desafio?
HIV e SIDA! Como podemos parar com a propagação? E o tema desta semana.
Sábado,30 de Novembro, as 17 horas, na TVM1.
Ate lá.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

HOMENS PELA MUDANCA

                       CONVITE 

MARCHA CONTRA A VIOLÊNCIA

DATA: 30 DE NOVEMBRO DE 2013 

                   HORAS: 7:00H

 LOCAL: PRAÇA DA PAZ (EM FRENTE A SHOPRITE, CIDADE DE MAPUTO) à PRAÇA DA INDEPENDÊNCIA 

EU ESTAREI LA! PARTICIPE TAMBÉM

Contacto: 846414149- Gilberto Macuacua

Estatuto da mulher em foco em Moçambique e Angola - a RFI entrevista Gilberto Macuacua (Mocambique)

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Nova chefe da ONU Mulheres afirma que educação é uma prioridade

A diretora executiva da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), Phumzile Mlambo-Ngcuka, disse que facilitar o acesso à educação para mulheres e meninas é vital para tirar milhões de pessoas da pobreza e deve ser uma prioridade para os governos e as organizações internacionais. As declarações foram publicas pela página da ONU nesta segunda-feira (16).
ONU
Phumzile Mlambo-Ngcuka  Diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, e a chefe de Comunicação e Advocacy, Nanette Braun, falando para a imprensa.
“A educação é um dos serviços fundamentais que todas as mulheres e meninas precisam ter acesso para que possamos fazer a diferença”, disse Mlambo-Ngcuka durante a sua primeira coletiva de imprensa em Nova York, na semana passada.

Ela foi nomeada em julho e assumiu o cargo em agosto. Mlambo-Ngcuka acrescentou que a educação será uma prioridade na agenda da entidade como parte de um esforço para acelerar as metas do combate à pobreza, conhecidos também como os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

A diretora executiva afirma que vê “a saúde e os direitos reprodutivos como um elemento essencial que precisamos para servir as mulheres e o empoderamento econômico como outra importante meta. Atingindo essas metas, poderemos combater a pobreza e seremos capazes de emancipar as mulheres”.

Durante a coletiva de imprensa, Mlambo-Ngcuka observou que embora seja importante capacitar as mulheres e fazer com que suas vozes sejam ouvidas, também é importante fortalecer as instituições nacionais para melhor atender as necessidades femininas, diminuir o número de jovens que abandonam a escola e trabalhar com homens e meninos, por que eles desempenham um papel fundamental na luta pela emancipação das mulheres.

Mlambo-Ngcuka acrescentou que buscará contribuir com organizações e instituições dentro e fora da ONU através da experiência e dos recursos para que os interesses femininos possam avançar.

Ela afirmou ainda que aumentar o financiamento para a entidade através de contribuições, novas fontes de financiamento do setor privado, fundações, filantropos e pessoas físicas também é uma prioridade.

Fonte: ONU

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

domingo, 4 de agosto de 2013

Programa Homem que e Homem na Televisao de Mocambique - TVM

Público Alvo: Homens e Rapazes dos 15 aos 49 anos de Idade

Através de uma abordagem de comunicação de Homem para Homem (que significa homem de verdade), os homens sentam entre si e conversam de forma franca e aberta sobre os padrões sociais de masculinidade vigentes no país. Analisam até que ponto as práticas masculinas são saudáveis ou nocivas às suas vidas e de outras pessoas.

O diferencial deste programa está no facto de os participantes partilharem suas próprias experiências de vida de acordo com o tema em debate.


Apresentado por Gilberto Macuacua, o programa HQH, pretende promover o respeito pelos direitos humanos e o bem-estar de homens, mulheres e crianças, contribuindo para a redução de casos de violência contra mulher e criança, incentivar um maior envolvimento de homens em questões relacionadas com a Saúde Sexual e Reprodutiva e Paternidade. 

O programa Homem que é Homem, acredita também que, as suas intervenções contribuirão na redução de vários outros problemas sociais, assim como aproximar mais as famílias moçambicanas e ainda, oferecer boas referências aos rapazes de hoje, que são os homens de amanhã.

Para além dos debates, providencia informação relevante sobre acontecimentos importantes, relacionados com os temas debatidos e divulga a legislação existente no país como por exemplo a Lei sobre a Violência Doméstica Contra Mulher. 

Este programa, até o momento, é considerado único do mundo com esta abordagem e é o primeiro em Moçambique que faz a simbiose entre a televisão e facebook de forma constante, proporcionando aos telespectadores e telespectadoras informações actualizadas e mais espaços para debates e apresentação de dúvidas e sugestões 24 horas por dia. 
O público também interage com o programa através de SMS’s. 

Este programa iniciou a sua primeira transmissão, no dia, 29 de Maio de 2011. Actualmente é transmitido aos Sábados, pelas 17 horas com repetição as quintas-feiras, pelas 17:10 horas.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

MARCHA PELA PAZ - 25 de Junho dia da Independencia Nacional

25 de Junho dia da Independência Nacional 
MARCHA PELA PAZ

A Paz está ameaçada em Moçambique. Sem ela, não podemos celebrar a liberdade, a independência. Por isso, As Organizações da Sociedade Civil e cidadãos mobilizam-se para marchar pela Paz no dia 25 de Junho! Não fiques alheio a este grito de Paz, junta-te a nós!
Concentração:  7:00horas
Local:  Praça da Independência
Percurso: Praça da Independência – Karl Mark – Eduardo Mondlane - Guerra Popular – Praça da Paz
(Traga a tua garrafa de água, vista a tua camisete branca, boné branco, traga a tua mensagem de paz!)
Organizacoes Proponentes:
FORUM MULHER
ROSC
MEPT
FDC
WLSA
RECAC
HORIZONTE AZUL
CESC
FORCOM
KUTENGA


Tod@s pela Paz!