segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Mensagem do Secretario Geral das Nacoes Unidas - 2012


MENSAGEM DO DIA INTERNACIONAL PARA A ELIMINAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER 25 de novembro de 2012

Milhões de mulheres e meninas em todo o mundo são agredidas, espancadas, estupradas, mutiladas ou até mesmo assassinadas, actos que constituem violações atrozes dos direitos humanos. Do campo de batalha para a casa, nas ruas, na escola, no local de trabalho ou na sua comunidade, cerca de 70 por cento das mulheres sofrem de violência física ou sexual em algum momento de sua vida. Um quarto de todas as mulheres grávidas é afectado.

Demasiadas vezes, os perpetradores ficam impunes. Mulheres e meninas têm medo de falar por causa de uma cultura de impunidade. Devemos combater o sentimento de medo e vergonha que pune as vítimas, que já sofreram o crime e agora enfrentam o estigma. São os criminosos que devem se sentir desonrados, e não as suas vítimas.

A minha campanha UNiTE - Unidos para Eliminação da Violência contra as Mulheres está a atrair e envolver governos, organizações internacionais, grupos da sociedade civil, meios de comunicação e cidadãos comuns. No ano passado, quando UNiTE perguntou a jovens de todo o mundo como eles pretendiam ajudar a promover esta causa crítica, eu fiquei muito animado com as respostas. Muitos jovens pediram o fim da ignorância. Eles disseram que não devemos tolerar atitudes negativas. Eles exigiram que nós levantemos as nossas vozes para promover os direitos humanos, e juntar forças para ajudar as vítimas. Um jovem disse simplesmente que os meninos poderiam combater a violência contra as mulheres "crescendo para se tornarem pais responsáveis ​​e maridos respeitadores."

A ONU está a trabalhar em todas essas frentes. Estamos a sensibilizar as pessoas através de programas de informação pública. O Fundo das Nações Unidas para Eliminar a Violência contra as Mulheres só este mês anunciou planos de desembolsar 8 milhões de dólares americanos para iniciativas locais em 18 países. Membros da minha crescente Rede de Homens Líderes, estão a fazer face à violência através da sensibilização pública, defendendo melhores leis e a responsabilização dos governos.

À medida que construímos sobre estes esforços, devemos opor-nos fundamentalmente à cultura de discriminação que permite que a violência continue. Neste Dia Internacional, apelo a todos os governos que cumpram as suas promessas para acabar com todas as formas de violência contra as mulheres e meninas em todas as partes do mundo, e exorto todos a apoiar este importante objectivo.