domingo, 23 de junho de 2013

OMS calcula que 35% das mulheres já sofreram violência

Mais de um terço das mulheres de todo o mundo já sofreram violência física. Cerca de 35% da população feminina mundial com mais de 15 anos de idade já sofreu violência física ou sexual em algum momento da sua vida, aponta levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado na ultima quinta-feira, 20 de Junho. Ainda de acordo com o estudo, a forma mais comum de agressão é a doméstica: em 30% dos casos, a violência partiu do companheiro.
Segundo os dados, 38% dos assassinatos cometidos contra mulheres foram executados pelos seus parceiros. Em todo o mundo, 42% das mulheres que sofreram violência doméstica apresentam sequelas físicas ou mentais.
Esse é o primeiro levantamento de dados globais sobre a violência contra mulher, classificada como um problema de saúde pública pela Organização. "Essas descobertas enviam uma mensagem poderosa: que a violência contra as mulheres é um problema de saúde mundial de proporções epidêmicas", afirmou Margaret Chan, diretora geral da OMS.
Sequelas - O estudo detalha ainda os impactos das agressões na saúde física e mental das mulheres. Além das lesões físicas e dos casos de morte (consequências mais comuns da violência doméstica), as mulheres que foram vítimas de agressões apresentaram como sequelas: depressão, dependência alcoólica; contração de doenças sexualmente transmissíveis, gravidez não desejada, problemas na gestação e aborto.
Nas mulheres violentadas pelos próprios parceiros, as probabilidades de depressão ou do aborto são duas vezes maiores em relação às mulheres que não passaram pelo trauma. Entre as mulheres que sofreram violência física ou sexual fora de casa, as chances de desenvolvimento de depressão são 2,6 vezes maiores e é 2,3 vezes mais provável que essas mulheres desenvolvam transtornos pelo uso de bebidas alcoólicas.
Recordar a todos e a todas que, infelizmente, Mocambique nao e excepcao quando olhamos para os dados acima descritos. Isto me traz um sentimento de inconformismo. Nao devemos aceitar que coisas iguais voltem a acontecer no nosso pais. Vamos acabar com a violencia.
Saudacoes
Gilberto Macuacua
Fonte: Gabriela Vieira | Agência Estado